sexta-feira, 25 de março de 2011

Profetas sim, enganadores não!

enganadores

“Pois misericórdia quero, e não sacrifício! e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos.” (Oséias 6.6)

Ao estudarmos o livro do profeta menor Oséias, iremos encontrar um cenário bastante interessante e questões muito peculiares a nossa. Oséias foi um profeta chamado por Deus para denunciar a injustiça social de sua época e que sofreu com o povo a questão pecaminosa que assolava a comunidade.

A história nos revela que Israel passava por um período de grande prosperidade e no entanto, era acompanhado de um declínio moral, como se pode observar no reinado de Jeroboão II, rei de Israel, uns 800 anos antes de Cristo. O país experimentava um desenvolvimento econômico como nunca antes, desde o tempo de Salomão. Foram construídas muitas casas de veraneio iguais às melhores residências urbanas. Produtos estrangeiros encheram o mercado. A vida luxuosa tornou-se a obsessão dos israelitas, essa obsessão tornou-se alvo na vido do povo, no entando, apenas uma minoria tinha acesso à vida boa e burguesa, a maioria esmagadora lutava para sobreviver. Os cultos estavam cheios e impressionantes, porém, sem enfase bíblica e cheio de sincretismo que tomava o pensamento de toda a liderança.

Todo esse cenário se parece com o cenário que a linha teológica das igrejas atuais em nosso pais vem apresentando, ou seja, templos cheios e uma multidão impressionante buscando insistentemente questões materias que visam resolver seus problemas. O pragamatismo desenfreado já tomou conta dos cultos, fazendo com que os fiéis perdessem o foco da graça e da genuína mensagem do Evangelho.

Nos dias atuais percebemos que os cultos estão cheios de sicretismos religiosos, crendices e tolices humanas que ferem o pricípio da verdadeira adoração. enganador2Uma mensagem enraizada no materialisno e busca desenfreda da prosperidade que nada mais são, fruto do pecado. Os cultos em uma boa parte das igrejas estão cheios de lobos que se passam por ovelhas mansas e obedientes mascarando um cuidado com seus rebanhos, mas que todo cuidado, não passa de engodo para enganar as pessoass com uma mensagem mentirosa e articuladora que tem como objetivo o enriquecimento próprio e fazer com que o outro seja escravizado.

A Igreja Evangélica Brasileira precisa acordar para estas questões, os líderes que verdadeiramente estão comprometidos com a verdade do evangelho e com o proxímo e que visam uma alteridade cristã necessitam denunciar estas aberrações que tanto confundem o povo.

Que Deus levante homens e mulhres que assumam verdadeiramente sua missão de ser sal e luz, de serem discípulos e discípulas de Cristo.

Rev. Claudio Luis

4 comentários:

Márcio Mendes disse...

Uma diferença entre as épocas é que naquele tempo era da lei hoje estamos na graça, mas a propria biblia fala que haverá menos rigor para Sodoma e Gomorra do que pra aqueles que não aceitam o evangelho de CRISTO.

Márcio Mendes disse...

Uma diferença entre as épocas é que naquele tempo era da lei hoje estamos na graça, mas a propria biblia fala que haverá menos rigor para Sodoma e Gomorra do que pra aqueles que não aceitam o evangelho de CRISTO.

Mariana Gomes Pires disse...

Sim...que o Senhor nos ajude nessa missão.
Precisamos desmascarar os falsos profetas, principalmente, com nossas próprias vidas e atitudes, seremos testemunhas vivas, do quê é ser um cristão 'abençoado e próspero', abençoando vidas e prosperando no Evangelho e não nas riquezas desse mundo, as quais Deus as dá, se for o caso, Ele proverá!
Trabalhemos pelo Evangelho de Cristo.

Josue disse...

Hoje estamos presenciando o evangelho fácil,onde tudo e possivel.A maioria dos cristãos estão com suas mentes perdidas, afundadas em prosperidade material,estão obscado pela riqueza, esqueceu de cristo e do seu evangelho.Que nos podemos orar e combater contra essas heresias.Parabéns pelo seu texto que Deus fortaleça sua vida.A paz Pastor Claudio.